Programa de Desenvolvimento de Liderança & Comunicação | PDL&COM

0 aluno

11ª Onda

“É amor, é tanto amor que eu sinto esse momento. 
Felicidade transbordando em mim"

Perpetuação das Ondas 
A coroação do Programa – fechando com chave de ouro
“É amor, é tanto amor que eu sinto esse momento. 
Felicidade transbordando em mim
Tem tanto tempo nossa união
Chegou o dia que o meu coração
Tá daquele jeito.
Bateu a sintonia
É tempo de alegria
Alegria, alegria!” 
(Ivete Sangalo)
Olá Líder,
Com muita alegria concluímos a última etapa do programa; encerramos um ciclo, porém o desenvolvimento, a aprendizagem deve ser constante, e, cabe a cada um, continuar aperfeiçoando os conhecimentos adquiridos no PDM&COM para que as Ondas se perpetuem.
Confesso que preferiria não escrever este texto de conclusão do PDM&COM, pois já estamos sentindo falta de vocês. Foram mais de dois anos aprendendo juntos. Um capítulo marcante da nossa história.
Falando em história, iniciamos as atividades dessa Onda desfazendo um laço e não cortando, todos juntos, pois quando há laço, há liberdade de desfazer e fazer novamente. Depois cada um de vocês, nos contou parte da sua história, proposta do fechamento do Projeto de Melhoria Interna – O Herói em Você, experiências vividas nesses dois anos, mudanças ocorridas com a aplicação do autocoaching. 
Parabéns!!!
Nem todos realizaram, é verdade, e já dissemos em outro momento, que sempre é tempo de aprender. Então, corre lá, o acesso em nosso site ainda está liberado.
Depois vocês tiveram a oportunidade de “Fazer Arte”, expressar seus sentimentos e mostrar as cores de sua alma, em um desenho abstrato. Exercitaram a criatividade e envolveram sua arte em um laço; novamente laço. 
Sempre que tiverem a oportunidade repitam essa atividade, pois “a arte nos ajuda a fantasiar quando nossa mente está endurecida, nos ajuda a expressar nossos mais profundos sentimentos. A simbologia das cores revelam a nossa interioridade, expressando e imprimindo conteúdo, e cada pessoa tem um arco-íris interno diferente, só seu.”
George B. Shaw diz que:
 “Os espelhos são usados para ver o rosto e a arte para ver a alma.”
Após a exposição de artes, foram convidados a planejar a atividade do dia seguinte. E para “fazer bonito” foi necessário estudar. Estudar o texto “A mesa de Instrumento” – Eugenio Mussak, uma orientação para a administração em nossa vida – planejar, orientar, dirigir e controlar.
No dia seguinte, no café da manhã, “fizeram bonito”, sim – Serviram Energia com Alegria e emocionaram a todos.  É simples agradar alguém, basta ter Atitude.
Já no momento de relembrar o Círculo Dourado de Simon Sinek e demonstrar a identidade institucional da CCR Metrô Bahia, não foi tão fácil… mas, juntos conseguimos chegar no resultado.
Ainda assim, sugerimos que estudem um pouco mais o Círculo Dourado e aprendam a se comunicar de forma engajadora. É só Googlar para muito conteúdo sobre o Círculo Dourado, encontrar.
Depois também não foi tão fácil construir uma embarcação para que todos fizessem a Travessia – Caminho Para a Mentoria. Faltou PLANEJAMENTO, planejamento, planejamento…cadê o 5W2H? E a comunicação – o saber ouvir etc.
Lá na fazenda Mirage era um laboratório, como foi dito várias vezes, mas agora vocês estão aí com a mão na massa…
Lembrem-se de usar a ferramenta certa no momento certo para a atividade certa. 
E como era para ser, conseguimos também nos divertir. Isso é importante!
Continuamos o dia experimentando o jogo de Paintball, que requeria planejamento estratégico, autoconhecimento, conhecimento do público alvo, inteligência emocional, comunicação interpessoal, auto confiança, gerenciamento de tempo e risco etc., e refletimos sobre metas.
Todos nós temos metas a cumprir, porém nosso comportamento em qualquer momento deve ser pautado pelos valores – Respeito, Autonomia, Desprendimento, Integridade, e Ousadia- sempre com responsabilidade pelos nossos atos.
Lembre-se: 
“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas.”  Sun Tzu
Depois disso fizemos uma pausa para descansar.
Breve descanso, pois tínhamos que nos produzir para a festa- Festa a Fantasia na Passarela da Alegria. Parabéns galera!!! 
Foi muito bom nos divertirmos juntos. Vocês foram muito criativos e mostraram que é possível criar novas soluções com os recursos disponíveis. 
Continuem usando a criatividade para pensar em diferentes soluções e resolver questões existentes em sua área, na empresa, na vida.
Um brinde a Vida!!! Foram vários brindes…
No último dia da nossa jornada na fazenda Mirage e do PDM&COM, iniciamos falando sobre o a visão do homem integral – pensar, sentir e agir.
“As faculdades do Pensar, Sentir e Agir podem ser associadas respectivamente à mente, ao coração e às mãos e membros. A mente trabalha com percepções, conceitos, argumentos e ideias; o coração vibra por meio das emoções, das vivências, do humor e dos valores; as mãos e membros conectam-se com as vontades, as intenções, as motivações, a energia e as ações.
Em nosso dia a dia, podemos perceber com facilidade pessoas que são mais ligadas ao pensar – são pessoas que dominam conceitos mais facilmente, bons de argumentação, tem excelentes ideias, mas em contrapartida podem ter dificuldade de fazer acontecer. Podem ser estrategistas fantásticos ou sonhadores que não saem do campo das ideias.
Pessoas que são fortes em agir, normalmente saem fazendo sem pensar e planejar, seu querer é fortíssimo e podem ser percebidos como fazedores. Pessoas que realizam, mas que muitas vezes pagam um preço mais alto por não pensar o necessário. Podem ser empreendedores realizadores, como podem ser percebidos como verdadeiros tratores, pessoas que não ouvem e saem fazendo do seu jeito.
Assim como há também os que tem mais energia no sentir. Estes podem ser percebidos como imaturos, choram com facilidade ou os explosivos. Podem ser também aqueles que se preocupam com a qualidade do ambiente, das relações e costumam ter uma presença natural para facilitar conflitos e inspirar pessoas.
Estes princípios permeiam as organizações o tempo todo. A maneira como lidamos com essas forças e o nível de consciência que temos em relação a elas pode facilitar ou dificultar a vida dos indivíduos e equipes.
São todas de igual importância e a sabedoria está em saber a hora de pender mais para um lado ou para outro, e mais que isso saber equilibrar essas faculdades.”
Após essa breve exposição, foi o momento de experimentar novamente o trabalho em equipe, o planejamento, a comunicação verbal e não verbal, o saber ouvir, a criatividade, explorar os sentidos, a inclusão, a falta dela também, a visão estratégica e a integridade, para assim Construir o Abrigo – montar uma barraca. 
Apresentamos algumas dificuldades, planejadas exatamente para mostrar que muitas vezes vemos, ou seja, temos o sentido da visão, mas não enxergamos.
Temos o sentido da audição em perfeitas condições, mas não ouvimos – escuta ativa. 
E quanto o tato?  
Tato é um dos nossos cinco sentidos, porém o “tato” que me refiro aqui, é no sentido de saber lidar com as pessoas.
Nessa atividade observamos os dois – como foi sua atuação?
Ainda nessa atividade sobrou ferramentas, lembram-se? 
Muitas vezes quando estamos em dificuldade, nem sempre usamos a ferramenta certa. Deixamos que a impulsividade tome conta de nós e ofusque o nosso raciocínio, perdemos a clareza. 
É quando surge a dificuldade que temos que agir com tranquilidade, ter inteligência emocional e não nos desesperarmos.
Devemos nos aplicar para entregar resultados sim, ultrapassar barreiras, descobrir outros meios para conduzir a equipe, mas nunca a qualquer custo. Integridade sempre.
Integridade gera confiança. 
Falando em confiança, aproveito agora para mencionar o novo conteúdo que apresentamos, nessa Onda, para estabelecer a cultura da confiança:
Oito elementos chaves para construção da cultura da confiança e pertencimento.
1-Reconhecimento – agradecer e dar pronto reconhecimento aos indivíduos por seus esforços, progresso e realizações.
2-Expectativa – comunicar metas claras e desafiadoras, dar feedback contínuo e mensurar o sucesso.
3-Iniciativa – encorajar a autonomia, apoiar diferentes abordagens e tratar os erros como oportunidades de aprendizagem
4-Transparência – aproveitar as habilidades e o talento da equipe, fornecendo recursos necessários para o trabalho.
5-Abertura – garantir transparência e compartilhamento de ideias e informações em tempo suficiente.
6-Cuidado – Desenvolver relacionamentos atenciosos, colaborativos e mostrar consideração.
7-Desenvolvimento – investir no desenvolvimento e na aprendizagem contínua dos funcionários.
8-Integridade – Comportar-se de forma natural, integra e aberta em relação às vulnerabilidades e aos erros. Pedir ajuda.
Resultados que podem ser alcançados quanto mais forte a cultura da confiança:
74% menos estresse
50% mais produtividade
76% mais engajamento
56% mais satisfação pelo próprio trabalho
Com certeza a confiança nos traz conforto emocional, um ambiente mais saudável, agradável e acolhedor. 
Com integridade “criamos laços” e é para isso que precisamos trabalhar – para construirmos –  Mais laços e Menos nós.
Na piscina fizemos e desfizemos um nó humano, e ouvimos que:
“A vida é trem bala, parceiro. E a gente é só passageiro prestes a partir.” 
(Ana Vilela)
Relembramos a nossa infância, nossa família, aqueles que nos ensinaram a fazer laço.
Erramos muito até aprender a fazer laço; nossos familiares tiveram que ter muita paciência para nos ensinar. 
Será que temos essa paciência no nosso dia a dia?
Estamos criando mais laços ou mais nós?
Vocês tiveram a oportunidade de aprender sobre comunicação não- violenta na 5ª Onda, e foram presenteados com o livro Comunicação Não – Violenta, de Marshall B. Rosenberg – para aprofundar seu conhecimento sobre o assunto.
Leiam, estudem, pratiquem, pratiquem e pratiquem para que esse conhecimento se torne realmente Saber.
Essa ferramenta é fundamental para construirmos mais laços e evitarmos os nós. Pratique!
Para finalizar as atividades do PDM&COM com chave de ouro, chamamos um maestro – um Líder Maestro, que do Gesto à Gestão, precisava atender as necessidades da equipe, do seu primeiro cliente, o cliente interno, em quatro gestos:
– Acolher
– Ouvir
– Solucionar
– Agradecer
Esses são os pilares da excelência no atendimento, e como dissemos “ninguém dá o que não tem”. Somente quando os clientes internos forem atendidos com excelência é que eles oferecerão um atendimento de excelência ao público externo; assim, juntos apresentarão um espetáculo e serão aplaudidos em pé.
A CCR Metrô Bahia afinada como uma orquestra, tocando em harmonia. 
Aplausos a todos!!!! 
A todos que participaram efetivamente do Programa de Desenvolvimento de Mentoria e Comunicação, e àqueles que por algum motivo não puderam participar, estamos de braços abertos, pensando em alguma forma de inseri-los nesse mundo – um mundo possível sim, um mundo real em que todos querem ser bem tratados. 
Um mundo em que primeiramente temos que ter a coragem de mergulhar em nós mesmos, no desconhecido, admitir nossas fraquezas, fortalecer nossas habilidades, e somente depois de passarmos pelo processo de amadurecimento, com humildade, aprender as lições que a vida tem a nos ensinar, voltaremos fortalecidos, transformados para caminharmos juntos num mundo melhor – construído por cada um de nós com muita alegria e laços eternos.
Grande abraço, sucesso a todos e até breve.
Zilá Ester Rodrigues  &  Letterino Santoro
Conforme prometemos, segue abaixo o link para que você leia na integra a entrevista da Revista Exame sobre Cultura da Confiança:

https://exame.abril.com.br/revista-exame/a-confianca-tem-o-poder-de-gerar-mais-lucro-diz-pesquisador/

Instrutor

Gratuito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *